O Sindimed tem pleiteado condições de trabalho para os médicos especialmente neste momento

Postada em 21 de março de 2020 as 19:39
Compartilhe:


Diante da pandemia do Covid-2019, o Sindicato dos Médicos do Estado da Bahia está desenvolvendo ações de prevenção à disseminação e infecção do coronavírus. Para assegurar aos médicos as adequadas condições de trabalho para o momento, o Sindimed tem encaminhado ofícios a governantes e secretarias de diversos municípios e do Estado da Bahia. Os pleitos foram apresentados  também em reuniões que o Sindicato participou, nesta semana, com diversas autoridades, inclusive com representantes da Secretaria da Saúde do Estado.
Assim, segundo a presidente do Sindicato, Dra. Ana Rita de Luna Freire Peixoto, o Sindimed também está solicitando ao Governo da Bahia bem como à Prefeitura que sejam tomadas dentre outras medidas: que sejam assegurados equipamentos de proteção individual, como máscaras e luvas, para os que lidam com a população diretamente, pois há notícia da falta de EPIs para os profissionais nas unidades; respeito aos médicos idosos com comorbidades e seleção por Reda, com critérios balizadores, assegurando qualidade técnica.
A dirigente pontua que o Sindimed está requerendo também que os médicos concursados que foram aprovados e não foram chamados sejam efetivados imediatamente, dada a crise pela Pandemia. “Queremos também a exclusão de cláusulas abusivas dos novos contratos de médicos que atuam como pessoa jurídica.  Atualmente, por exemplo, há itens que permitem atrasos no pagamento, de 60 a 90 dias, sem que isso seja considerado atraso”, afirma Dra. Ana Rita. Entre os pleitos, ela cita também seguro de vida, remuneração diferenciada, seguro por afastamento por doença comprovada, entre outras demandas.
Segundo Dra. Ana Rita, uma das preocupações do Sindimed é em relação aos profissionais que fazem parte dos grupos de risco, por idade e/ou comorbidade.  “Emitimos um ofício específico requerendo que os médicos que integram estes grupos sejam realocados e passem a executar suas atividades de um outro modo, em que seja reduzida a exposição. Essa medida preventiva inclusive já está garantida aos demais servidores “, afirma.
O Sindicato está discutindo com gestores Municipais e do Estado para  garantir aos grupos de risco da categoria médica o que for necessário para afastamento dos riscos inerentes no trabalho.  “Os médicos também são infectados e ficam doentes. Temos que trabalhar na prevenção, porque inclusive temos consciência da importância da atuação de todos os profissionais de saúde nesse momento tão grave de pandemia do covid-19 “, diz a presidente.
Dra. Ana Rita de Luna comenta uma outra problemática enfrentada pela categoria: o Governo da Bahia não realiza concursos para médicos há 12 anos e muitos profissionais trabalham para o Estado como pessoa jurídica, com vínculos precários. “Apesar dos médicos estarem submetidos a essa situação de fragilidade pela circunstância imposta pela inexistência de concursos, acreditamos que aqueles que caírem doentes e que, por isso, tiverem que se ausentar, não merecem  ser cortados do sistema. Caso contrário, a categoria fica em situação ainda mais vulnerável e difícil”, comenta.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


COVID-19 EPIs

Denuncie quem não paga:

Acompanhe o Sindimed:

    
  • [yop_poll id=”1″]



  • sindimed.com.br ©2019 Todos os direitos reservados.