FEIRA DE SAÚDE MOBILIZA MÉDICOS EM GREVE EM CAMAÇARI

Postada em 25 de maio de 2016 as 17:21
Compartilhe:


Dentro da mobilização por melhores condições de trabalho em Camaçari, os médicos em greve promoveram uma feira de saúde nesta quarta-feira (25) no pátio da prefeitura. Além do atendimento médico, os profissionais informaram aos usuários do sistema sobre sua luta e pauta de reivindições, onde se destaca a necessidade urgente de mais segurança nas unidades onde trabalham.
 
Na feira (das 9h às 12h) foram feitos 287 atendimentos, dos quais 108 foram de dosagens de glicemia capilar, 169 aferições de tensão arterial e 10 atendimentos ortopédicos. Após a devida consulta, também foram trocadas receitas vencidas de medicamentos de uso controlado e dadas orientações gerais às pessoas que procuravam os profissionais. O objetivo do evento não era apenas o de protestar contra a indiferença da prefeitura ao pleito dos médicos, mas manter uma relação de proximidade com a comunidade, que precisa estar bem informada sobre os problemas da saúde pública de seu município.

 

 

O presidente do Sindimed, Francisco Magalhães, informou que também foram distribuídos panfletos à população detalhando o motivo da greve, que começou no final de março, inicialmente como adesão à paralisação dos funcionários públicos de Camaçari, e prosseguiu com pauta própria. Além da necessidade de melhor estutura de atendimento nos postos e no Hospital Dia, os médicos estão muito preocupados com a insegurança nas unidades de atendimento.
 
Relatos de agressões físicas e verbais contra as equipes de saúde são recorrentes. Na sexta-feira retrasada (13), por exemplo, um homem com arma da fogo invadiu a UPA de Vila de Abrantes à procura de um médico, que conseguiu escapar e registrar queixa na polícia, que apura o caso. Além disso, não são raros os relatos de arrombamentos e furtos nos postos, vulneráveis notadamente durante a madrugada. As câmeras de segurança, cada vez mais comuns em inúmeros locais, simplesmente não existem em várias unidades de saúde. Tal equipamento seguramente ajudaria na apuração das ocorrências e também inibiria atos violentos.
 
INFORMAÇÃO
 
Em carro de som, os médicos informam à população os motivos que levaram a categoria a parar e exigir do secretário de Saúde de Camaçari, Washington Couto, um posicionamento firme e responsável a respeito da séria crise por que passa o atendimento público. Vale lembrar que o Samu atua de maneira precária, com viaturas paradas por falta de manutenção. Na feira de saúde, o cordelista Alberto Lima, lotado no setor de Comunicação do Sindimed, deu uma pitada de descontração, mas também uma alfinetada no descaso oficial em relação à saúde, declamando os  versos abaixo:

 


 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Powered by Ajaxy

Denuncie quem não paga:

Acompanhe o Sindimed:

    


  • sindimed.com.br ©2016 Todos os direitos reservados.