Hospital Regional de Juazeiro mantém atraso de salários e gera demissão em massa de médicos

Postada em 3 de junho de 2020 as 22:09
Compartilhe:


Com salários atrasados, mais de 10% dos médicos do Hospital Regional de Juazeiro, sete do quadro de 57 contratados em regime CLT, pediram demissão nesta quarta-feira, 3 de junho. Na terça-feira, 2 de junho, o Sindimed tinha alertado que essa prática do Hospital estava deixando os médicos temerosos em relação à continuidade da inadimplência, com evidente risco da perda dos profissionais para outros postos de trabalho, que pudessem lhes dar segurança financeira.
Atrasos de remuneração dos médicos na unidade vinculada à Secretaria da Saúde do Estado têm sido recorrentes, segundo informa a presidente do Sindicato dos Médicos do Estado da Bahia, Dra. Ana Rita de Luna Freire Peixoto. “Por inúmeras vezes, a gestão do hospital só efetivou o pagamento após indicativo de greve e ameaça de paralisação. Como eles sabem que, neste momento de pandemia, a classe não vai parar, se aproveitam desse fato para desrespeitar os prazos de pagamento de salários”.
A presidente informa que só após receber pedido de demissão em massa dos médicos é que a gestão do hospital passou a se mobilizar para tentar dar sinais de que finalmente recebeu recursos financeiros para proceder pagamentos. Assim, os médicos tiveram acesso à cópia de uma nota de ordem bancária emitida pelo Governo da Bahia para a organização social responsável pela gestão do hospital. Isso credita o atraso dos salários à demora de pagamento também por parte do Estado. Embora o documento sinalize que a transferência para a OS tenha sido autorizada nesta quarta-feira, 3 de junho, não se sabe ainda quando os médicos terão seus salários quitados.
Segundo Dra. Ana Rita, a classe lastima mais esse desrespeito, pois a falta de recebimento de salários vem se somar a uma série de outros fatores difíceis do trabalho dos médicos na pandemia. “O Sindimed reivindica que, neste momento de tantas crises associadas, o governo e o gestores possam ter mais sensibilidade em relação aos profissionais que estão fazendo esse trabalho sofrido de linha de frente para o enfrentamento da covid-19”, afirma.
Assim que o coletivo de médicos que atua no Hospital de Juazeiro comunicou ao Sindimed o atraso, foi expedido ofício diretamente aos gestores da unidade cobrando solução. Embora o documento tenha sido enviado no dia 20 de maio, o problema não foi sanado. Na terça-feira, 2 de junho, o Sindimed-BA também tinha emitido um novo ofício ao secretário municipal do município reiterando a solução do problema.
A preocupação dos médicos do Hospital de Juazeiro é crescente, na medida em que já se aproxima o vencimento do mês de maio (05/06/2020), sem que ocorra programação do pagamento sequer dos salários de abril, que deveriam ter sido pagos no dia 05 de maio. “Vale ressaltar a gravidade da situação, uma vez que tais valores têm natureza inclusive alimentar e, como todo trabalhador, os médicos dependem dos seus vencimentos para garantir sua sobrevivência e de suas famílias”, afirmou a presidente do Sindimed-BA, no comunicado enviado na terça-feira, 3 de junho.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Perdeu seu posto de trabalho?

COVID-19 EPIs

Denuncie quem não paga:

Acompanhe o Sindimed:

    


  • sindimed.com.br ©2019 Todos os direitos reservados.