• Sindicato dos médicos
    Sindimed Sindimed

    Greve: bispo de Camaçari participa de reunião dia 18 com médicos e gestores municipais

    Postada em 12 de janeiro de 2018 as 13:07
    Compartilhe:


    O presidente do Sindimed, Francisco Magalhães, e uma comissão de médicos visitaram o bispo de Camaçari, dom João Carlos Petrini, para expor a situação que levou à decretação de uma greve no município. O objetivo do encontro, realizado no dia 10, foi facilitar os entendimentos com a prefeitura nessa mobilização por melhores condições de trabalho e recomposição salarial.

    Como resultado do encontro, foi agendada para a próxima quinta-feira (18/01), às 14h30, uma audiência com os secretários municiais da Saúde, Administração e Finanças. A audiência acontecerá na sede da prefeitura, contando com a participação de dirigentes do Sindimed, representantes dos médicos em greve e do próprio dom Petrini. A população está sendo convidada a acompanhar o encontro através de suas associações de bairros, conselhos de saúde e outros representantes.

    Os médicos de Camaçari também deverão comparecer em massa ao evento no sentido de pressionar o Executivo municipal a atender ao pleito da categoria, que está em greve desde 28 de dezembro.

    Os profissionais relataram ao bispo de Camaçari a situação que estão vivendo no município, que já foi referência nacional em saúde. Explicaram a situação das unidades quanto às condições de trabalho e salientaram o quanto essa estrutura precária dificulta o atendimento aos pacientes.

    Dom Petrini contou ter recebido na paróquia a visita do secretário de Saúde do município, Elias Natan, que se disse aberto às negociações com os médicos, para melhorar a situação atual da saúde do município. Dom João Carlos Petrini se mostrou sensível às reivindicações dos médicos, considerando-as pertinentes.

    Por outro lado, os médicos evidenciaram o fato de que, embora a tônica da conversa com o bispo por parte do gestor tenha sido a da suposta abertura para o diálogo, essa não tem sido uma prática da gestão. Diversas foram as tentativas frustradas de negociação por parte dos médicos antes de deflagrarem a greve.

    Aproximação

    Um dos profissionais presentes à visita ao bispo salientou a importância da Igreja nessa intermediação e relembrou, inclusive, que o papa Francisco tem como premissa do seu pontificado a preocupação com os mais pobres e necessitados. Nesse sentido, o médico apontou a necessidade das paróquias estarem cada vez mais próximas da realidade da população, especialmente no que se refere à saúde pública.

    O profissional citou ainda a grave questão da mortalidade infantil e materna, que tem sido negligenciada no município. O bispo, por sua vez, relembrou a atuação da Igreja Católica através da Pastoral da Criança, que também trabalha nesse sentido. E se colocou à disposição para pensar um modo de integração em três pilares: saúde, comunidade e Igreja.

    Assembleia decide manter greve e exige concurso público

    Com adesão significativa na mais recente assembleia, realizada na quarta-feira (10) no Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari, os médicos decidiram manter por tempo indeterminado a paralisação iniciada no dia 28 de dezembro.

    Nesta assembleia foi reafirmada a pauta de reivindicações, com o adendo de um novo pleito: a realização imediata de concurso público para médicos e demais profissionais de saúde, pois há uma grande lacuna no quadro de servidores. Este déficit acarreta sobrecarga de trabalho e dificulta o acesso da população ao atendimento médico.

    União

    Os participantes da assembleia também definiram estratégias de fortalecimento do movimento e o necessário engajamento da população para uma luta forte e unificada. Os médicos reiteraram a disposição de se iniciar uma negociação, algo esperado desde a audiência no Ministério Público do Trabalho, realizada em 21 de julho do ano passado.

    A assembleia contou com a participação do presidente do Sindimed, Francisco Magalhães, e do seu vice, Luiz Américo Câmara. Esteve presente também o diretor do Sindimed, Gil Freire, além do representante da CTB da Região Metropolitana de Salvador, Everaldo Vieira.

    Repercussão na mídia

    Além de divulgar a greve dos médicos em rádios de Camaçari, o Sindimed, representado pelo seu presidente, Francisco Magalhães, concedeu na quinta-feira (11) uma entrevista na TV Conexão. Magalhães explicou em detalhes os problemas enfrentados pelos médicos e pela população. As unidades de saúde do município carecem de melhorias físicas e operacionais, motivo que, somado à dificuldade de negociar com a prefeitura, levou à decretação da greve.

     

     

     

     

     

     



    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



  • sindimed.com.br ©2016 Todos os direitos reservados.