MPs ajuízam ação pedindo reabertura das UPAs de Escada e Roma

Postada em 22 de setembro de 2017 as 13:13
Compartilhe:


Os Ministérios Públicos estadual e federal ajuizaram na última quarta (20), uma ação civil pública pedindo o restabelecimento dos serviços prestados nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA) de Roma e Escada, que tiveram suas atividades encerradas em dezembro de 2016. Segundo a promotora de Justiça Rosa Patrícia Salgado e o procurador da República Fábio Conrado Loula, autores da ação, “os cidadãos soteropolitanos estão sofrendo sérios prejuízos na assistência à sua saúde”, em razão do encerramento das atividades das UPAs dos bairros de Roma e do Subúrbio Ferroviário (UPA de Escada). 

Vice presidente do Sindimed, Luiz Américo, em reunião no MPE para tratar sobre o fechamento das UPAs de Plataforma e Escada

Vice-presidente do Sindimed, Luiz Américo, em reunião no MPE, no dia 3 de abril, voltou a defender a reabertura das UPAs de Plataforma e Escada. Leia mais aqui.

Na ação, os MPs requerem ainda o não encerramento de qualquer outro serviço ofertado na Rede de Urgência e Emergência da Região Metropolitana de Salvador Ampliada pelo Estado, e que sejam restabelecidas as ações e serviços de saúde de urgência e emergência que eram ofertados em Itapagipe e Subúrbio Ferroviário. Outras garantias que preservam o serviço de saúde prestado na região, também requeridas na ação, podem ser conferidas AQUI.

Sindimed segue firme na luta pela reabertura da UPA de Escada

Desde o anúncio do fechamento da UPA em 2016, o Sindimed uniu forças com os médicos que lá trabalhavam e os representantes comunitários do Subúrbio Ferroviário. O caminho foi longo, até que em julho deste ano, a justiça reconheceu os vínculos empregatícios dos médicos que trabalhavam na unidade sem carteira assinada, e assim receberem seus direitos, além de determinar o pagamento por danos morais, revertidos em favor do Funtrat.

Durante todo este tempo, uma série de atividades ressaltando a melhoria do acesso à saúde na região foram realizadas: feiras de saúde e debate incluindo a presença do governo e representantes de entidades de saúde promovido na comunidade; divulgação para a grande mídia, através de rádio e jornal; passeatas; entrega de boletins informativos destinados aos moradores, além de inúmeras reuniões com os gestores. No dia 3 de abril, o Sindimed junto com o Sindisaúde e representantes das comunidades se reuniu com os promotores Rogério Queiroz e Rosa Atanázio no Ministério Público Estadual denunciando a situação e solicitando apoio.

O Sindimed segue na luta pela reabertura da UPA de Escada, juntamente com a Unidade de Emergência de Plataforma, que está desativada há cerca de seis anos a pretexto de uma reforma que nunca foi concluída. 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



  • sindimed.com.br ©2016 Todos os direitos reservados.