Bahia e Pernambuco se unem para elevar honorário de ortopedistas no Vale do São Francisco

Postada em 30 de novembro de 2017 as 20:19
Compartilhe:


O presidente do Sindimed, Francisco Magalhães, articula uma luta conjunta com o sindicato da categoria de Pernambuco para fortalecer a mobilização pelo aumento dos honorários dos ortopedistas do Vale do São Francisco, no norte da Bahia.  Ele retornou nesta quarta-feira (29) de Juazeiro, onde conversou com os médicos da rede particular sobre a defasagem dos honorários repassados pelos planos de saúde, que estão bem abaixo do que é pago nos centros mais populosos. 

Magalhães lembrou que os profissionais de Juazeiro se organizaram através da Associação dos Ortopedistas do Vale do São Francisco e agora contam com o apoio do Sindimed nesta luta por melhor remuneração.  Ele já conversou com o presidente do Simep (Sindicato dos Médicos do Estado de Pernambuco), Mario Lins, que acenou positivamente e em breve deverá divulgar a data de uma assembleia conjunta para definir os próximos passos do movimento.

O médico Henrique Ceravolo Cereza disse que a associação foi criada há cerca de um ano e tem entre os maiores desafios a resolver, além dos baixos honorários, a bitributação (Bahia e Pernambuco) e o pouco volume de credenciamentos.  Juazeiro é separado da pernambucana Petrolina pelo Rio São Francisco e a associação tem cerca de 20 associados. Há algum tempo, os ortopedistas já se articularam com os colegas do estado vizinho na luta para vencer estes desafios. “Precisamos juntar os dois sindicatos para ganhar mais força”, disse ele. 

Não à terceirização

A prefeitura de Juazeiro mandou um projeto de lei de terceirização na saúde que de imediado provocou o repúdio da categoria médica.  O projeto envolve a UPA, Unidade de Saúde da Família e a maternidade. Quanto à maternidade, a intenção é de que ocorra uma transferência para a Univasf e os servidores fiquem à disposição de uma organização social. 

Segundo Francisco Magalhães, este projeto precisa ser combatido pela comunidade juazeirense,  tanto que na próxima segunda-feira (4) os médicos municipais farão uma manifestação na Câmara de Vereadores às 14h para pedir que eles não apoiem a mensagem do Executivo neste sentido. Não faltam exemplos mal sucedidos de terceirização na saúde e a disposição é de que o projeto de lei não emplaque.

Francisco Magalhães participou da assembleia promovida pelos médicos de Juazeiro

Francisco Magalhães participou da assembleia promovida pelos médicos de Juazeiro

Depois de muita cobrança, os médicos de Juazeiro finalmente passarão a receber o adicional de insalubridade. A atual gestão se comprometeu a fazer estudo neste sentido com vistas a iniciar o pagamento a partir de janeiro de 2018. Todos  estes pontos foram tema de discussão em assembleia dos médicos da cidade, que também abordou  a carga horária. A nova PNAB (Política Nacional de Atenção Básica) retrocede em alguns pontos, principalmente sobre a carga horária, obrigando os profissionais de saúde a 40 horas de jornada e extingue a possibilidade de realização de especialização de oito horas durante a semana, problema que deixa os médicos juazeirenses inconformados.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



  • sindimed.com.br ©2016 Todos os direitos reservados.