Médicos questionam governos na desatenção aos profissionais

Postada em 24 de março de 2020 as 12:37
Compartilhe:


 

Médicos questionam governos na desatenção aos profissionais

 

O Link da matéria no site da Tribuna da Bahia é o seguinte:

https://www.trbn.com.br/materia/I25193/medicos-questionam-governos-na-desatencao-aos-profissionais

Agora todo mundo fala em heroísmo e bate palmas. Mas os médicos que estão sendo convocados pelos governos do Estado e do município serão contratados sem vínculo? Considerando que na Itália muito médicos já morreram por causa do COVID-19 vamos ser contratados sem proteção social e sem seguro de vida?. Então, como ficam as famílias desses profissionais, que vão para o “front” enfrentar uma situação de risco como essa?

A presidente do Sindicato dos Médicos do Estado da Bahia (Sindimed), Ana Rita de Luna Freire Peixoto fez as perguntas e ela mesmo esclareceu que tem sido instada, a todo momento, para se posicionar com a situação acima descrita.

Médica, cirurgiã plástica, ela reconhece: “Sabemos da situação e não nos furtamos a enfrentá-la nem em crise e nem fora dela. Mas, temos que revelar que -historicamente – os governos da Bahia e do município de Salvador estão nos maltratando há mais de dez anos, quando não realizam concursos públicos para contratar o pessoal da categoria”.

E, sem meias palavras, mas com a autoridade que sua liderança profissional lhe confere, afirmou: “Os governos, acima citados, veem precarizando as nossas atividades com a contratação de médicos, através de pessoas jurídicas. A Prefeitura de Salvador, por exemplo, está chamando por meio de Reda Emergencial (processo administrativo), mas não chama os médicos recém-concursados e aprovados, ou seja, ela vê o médico como um objeto descartável. Passada a crise…É tchau e benção!”

ALERTAS

Ininterruptamente e com lastro no seu Departamento Jurídico, o Sindimed têm feito troca de mensagens com os entes públicos. “Desde a última sexta-feira 20, que enviamos ofícios, sinalizando a nossa posição, inclusive, endereçados ao Ministério Público do Trabalho (MPT). Hoje, (segunda-feira 23), estamos enviando novos ofícios, devido a apreensão geral com os fatos que acabamos de relatar”, antecipou.

“Recentemente, o Secretário da Saúde, Fábio Vilas-Boas nos convidou para uma conversa e fomos recebidos na Sesab estadual pela Dra. Tereza Paim. Mas confesso que não vi nenhuma preocupação do Estado em atender aos profissionais de saúde, no que diz respeito ao uso de equipamentos de proteção individual. Estivemos lá, acompanhados por representantes do Cremeb e da ABM”, relata.

OFÍCIOS

Entre as mensagens trocadas pelo Sindimed com as autoridades de saúde do Estado e do município de Salvador, a Dra. Ana Rita disponibilizou, por e-mail, o documento enviado ao secretário municipal da Saúde, Leo Prates. Eis alguns detalhes da comunicação.

“Exmo. Sr. Secretário. O Sindicato dos Médicos do Estado da Bahia – Sindimed, neste ato representado por sua presidente, tomou conhecimento, através das redes sociais, de que a Prefeitura estará lançando um edital para a contratação de 380 profissionais da área de saúde, entre os quais estão relacionados médicos plantonistas, infectologistas e sanitaristas; enfermeiros e técnicos de enfermagem; bem como fisioterapeutas, em Reda. Com relação a esse assunto, gostaríamos de levar à V. Exa. consideração que: encontra-se, no prazo de validade, o Edital 03/2019, referente ao concurso para a seleção de 41 médicos para os quadros da Prefeitura. Sabemos que o MP apresentou uma recomendação quanto aos termos do edital, o que impactou no ritmo das convocações. Mas essa questão foi superada pelo TAC celebrado entre esta Secretaria e o Parquet. Dessa forma, solicitamos que, nesse momento, seja priorizada a convocação de aprovados no concurso”.

O documento acrescenta outros pontos de apreensão: “Sabemos que pessoas com mais de 60 anos e/ou comorbidades formam um grupo de risco. Em todo o Brasil, e em todas as categorias profissionais, elas têm sido poupadas. Em milhares de empresas, elas foram as primeiras a serem dispensadas do trabalho. Mas esse critério não tem sido observado na convocação dos médicos. Assim, reforçamos o pedido já enviado no ofício 093/2020 no sentido de que médicos com mais de 60 anos e/ou comorbidades não sejam convocados para atuar no atendimento de pacientes com coronavírus. A classe médica está sendo convocada para uma batalha que nos levará a exaustão. Plantões dobrados, momentos de preocupação e ansiedade, tão frequentes em nossa rotina, serão intensificados. Precisamos, dentro do possível, estarmos amparados, com a tranquilidade de que as nossas famílias estão seguras e assistidas. Nesse sentido, o Sindimed-BA solicita que seja examinada a possibilidade da Prefeitura fazer um seguro de vida para os médicos estatutários e contratados em REDA que prestarão assistênciaaos pacientes com coronavírus”.

 

Fonte: Tribuna Bahia, jornalista Lício Ferreira. Edição de 24 de março de 2020.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Seguro Saúde

Perdeu seu posto de trabalho?

COVID-19 EPIs

Denuncie quem não paga:

Acompanhe o Sindimed:

    


  • sindimed.com.br ©2019 Todos os direitos reservados.