Planserv –  Médicos baianos querem o fim da desassistência silenciosa!

Postada em 18 de março de 2019 as 11:32
Compartilhe:


É sabido por pacientes e prestadores de serviço que o PLANSERV vem sofrendo um  sucateamento progressivo por redução dos subsídios estatais; falta de revisão das tabelas; ausência de melhoria de cobertura; redução do atendimento pela prática de cotas (conforme aponta a ASHEB) e atrasos nos repasses para hospitais e médicos.

Com este cenário, observamos uma política de desassistência silenciosa. Ou seja, o usuário sofre com a restrição do acesso aos  profissionais de saúde. Na prática, enfrentando uma grande dificuldade para marcar consultas e procedimentos, o que se traduz em longas esperas.

O usuário do planserv padece também  com uma outra situação grave: a falta de inclusão do avanços de métodos diagnósticos e terapêuticos. Além disso, frequentemente, impedido de realizar, quando necessário, dois procedimentos simultâneos. Isso dificulta a oferta de um serviço de saúde mais eficiente e moderno, prejudica o atendimento e pode até ocasionar grandes impactos negativos no quadro do paciente.

Um dos mais belos sinais de bom senso de um homem ou de um governo, é a capacidade de ouvir e se dispor a ajustar rotas. A recente notícia do último sábado, 15 de março, do acordo firmado entre os anestesiologistas e a gestão do Planserv, mostrou que o Governo pôde rever paradigmas.

Num único ato, reviu o antigo conceito de somente fazer acordos comerciais com hospitais e clínicas e firmou contrato diretamente com os médicos anestesistas. Entretanto, essa medida isolada a uma única especialidade médica, não resolve o problema.

O servidor do Estado da Bahia, usuário do Planserv, sabe que necessita das outras especialidades que seguem paralisadas. Sabe que precisa ter assegurado o direito à saúde de qualidade, com acesso aos avanços da Medicina. Precisa  sobretudo que seja eliminada a desumana política de cotas, hora praticada.

O Sindimed-BA, sempre atento aos pleitos da classe médica e visando os interesses da nossa população baiana, reforça a necessidade de avançar, no sentido de fazer acordos com médicos prestadores das demais especialidades com pagamento direto dos honorários, independente dos necessários acordos com os hospitais.

A atualização do rol de cobertura e dos valores praticados, bem como a suspensão da nefasta política de cotas são também pontos indissociáveis para o fornecimento do serviço de qualidade para o usuário Servidor Público do Estado da Bahia e seus dependentes.

O Sindimed-Ba segue em busca dos avanços, no sentido de assegurar a melhor oferta de saúde, moderna e eficiente, com médicos motivados diretamente credenciados e rede hospitalar amplamente disponível para a nossa população de 518 mil usuários.

Dra. Ana Rita De Luna – Presidente do Sindicato dos Médicos do Estado da Bahia

Planserv -  Médicos baianos querem o fim da desassistência silenciosa!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Denuncie quem não paga:

Acompanhe o Sindimed:

    
  • [yop_poll id=”1″]

  • Enquete

    O Sindimed está atualizando e ampliando sua carteira de convênios e parcerias.

    Participe dessa enquete fazendo sugestões de produtos e serviços que você gostaria de ver incluídos no Guia de Convênios do Sindicato.

    A exemplo de: Cursos, Escolas, Lojas,Restaurantes, Salões de Beleza, Postos de Gasolina etc...



  • sindimed.com.br ©2016 Todos os direitos reservados.