Sindimed e Cremeb visitam Multicentro do Vale das Pedrinhas

Postada em 11 de setembro de 2020 as 17:03
Compartilhe:


O Sindimed-BA fez, no dia 11 de setembro, uma visita em conjunto com o Cremeb ao Multicentro do Vale das Pedrinhas. Essa unidade é ligada à Prefeitura Municipal de Salvador e atualmente é administrada pelo Instituto de Saúde e Cidadania (Isac), com sede em Brasília. O Isac também administra, junto à Prefeitura, o Multicentro da Carlos Gomes.

Vários problemas foram notados e outros foram relatados por médicos e pacientes nessa unidade do Vale das Pedrinhas. Logo na chegada encontramos superlotação na recepção do Multicentro e muitas pessoas juntas no corredor. Embora houvesse um distanciamento entre as cadeiras havia muita gente na unidade. Além disso, nota-se claramente que o prédio onde funciona o Multicentro não dá demonstração de higiene adequada. Outro problema, de ordem administrativa, foi descoberto pelo Cremeb nos preparativos para a visita, a unidade, em desacordo com a lei federal que exige registro no Conselho Regional de Medicina, não possui tal documentação junto ao conselho da Bahia, tornando sua situação irregular.

Em abril, a unidade que se encontrava então sob a gestão da Santa Casa, recebeu uma nota técnica da prefeitura exigindo que fosse instalada lá uma unidade de acolhimento para pacientes respiratórios da comunidade. No mesmo mês, então, foi criado um consultório específico pra acolhimento dos pacientes respiratórios. Composto por um médico, um enfermeiro e um técnico a unidade passou então a fazer, também, o acolhimento de pacientes suspeitos de Covid.

RISCO DE CONTAMINAÇÃO

Antes da pandemia, a média de atendimentos do Multicentro era de pouco mais de quatro mil pacientes por mês. Esse número chegou a bater os oito mil e, agora, encontra-se em torno das seis mil consultas por mês. Uma das principais queixas em relação ao Multicentro do Vale das Pedrinhas, dentre outras, é em relação à questão da higienização e do fluxo dos pacientes. Existe um número muito grande de pacientes e o que chegou ao site do Sindimed em forma de denúncia foi justamente a queixa de uma dificuldade de desinfecção das salas de consultório após a saída do paciente respiratório. As consultas ocorrem a cada 13 minutos, chegando, por vezes, a 20 pacientes por turno.

É importante notar que os consultórios do Multicentro não possuem janelas. Os médicos e funcionários são obrigados a trabalhar com ar condicionado ligado, alguns médicos estão com máscaras cirúrgicas duplas e estão trabalhando com o faceshield. Até mesmo médicos que não são da área respiratória correm perigo nessa situação. Foi relatado que alguns pacientes, mesmo sentindo sintomas respiratórios, por vezes, omitem essa informação na triagem para não perderem uma consulta já marcada. A dificuldade no atendimento e a longa espera por uma consulta especializada fazem com que as pessoas, muitas vezes, só relatem dificuldades respiratórias já no consultório.

EQUIPE SOBRECARREGADA

O regime de metas adotado pela prefeitura e cobrado da Isac, mediante contrato, está repercutindo em sobre carga de trabalho, principalmente nas áreas clínicas. Colegas da clínica médica e de especialidades clínicas, que requerem mais tempo na consulta, estão reclamando da pressão psicológica sofrida no sentido de bater metas, prejudicando assim a qualidade do atendimento e do tratamento do paciente.

Além disso, em meio à pandemia, houve a implantação do prontuário eletrônico para o acolhimento dos pacientes. Sem o devido treinamento para lidar com esse novo procedimento, a equipe tem encontrado dificuldades e a nova situação está fazendo com que haja uma perda muito grande no horário do consultório ou no horário de consulta.

Existe uma diversidade de vínculos empregatícios praticados pela Isac e prefeitura. Isso gera, também, uma diversidade de vencimentos para a mesma função. Mais um fator desagregador e causador de stress. Os funcionários concursados estão com férias suspensa. Alguns estão adoecendo, pois, estão trabalhando, desde março, de forma ininterrupta, inclusive com licenças-prêmio também suspensas. Muitos colegas estão se queixando e pensando, até mesmo, em pedir exoneração do cargo público.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Seguro Saúde

Perdeu seu posto de trabalho?

COVID-19 EPIs

Denuncie quem não paga:

Acompanhe o Sindimed:

    


  • sindimed.com.br ©2019 Todos os direitos reservados.